Entrevista

C. F. Telles 

Quem é C. F. Telles o escritor de aventuras?

C. F. Telles é meu nome de escritor, me chamo Cesar, Cesar Ferreira Telles. Carioca. Nasci em 21 de fevereiro de 1974. Sou cristão, membro da Congregação Cristã no Brasil. Sou militar, atuo na segurança publica do Rio de Janeiro como subtenente, e por hobby sou desenhista, pintor e músico. 

perfil1-removebg-preview.png

O que levou você a começar a escrever livros?

Acredito que tenha sido o meu lado desenhista, pois desde pequeno eu fazia estórias de super-heróis em quadrinhos. Criava minhas próprias estórias e mandava para a editora abril, eu achava que iriam usar meus personagens, mas eu era uma criança de 10 anos, sonhadora e visionária! 

Qual é o seu escritor preferido?

Stephen King, não só pelas obras literárias mas pela estória de vida, que inspira qualquer um que deseja ser escritor. Eu sonho um dia escrever como ele, nossa, estaria realizado.

Quais os livros que você escreveu?

Eu escrevi apenas dois livros até o momento, eu sou um pouco lento para escrever, eu escrevi Sobre-humanos e Cavaleiros de Aço. 

capa sobrehumanos.jpg

Qual, dos três livros, que você mais gostou de escrever?

Ah, eu gostei de escrever todos, mas eu tenho um carinho especial pelo meu primeiro livro "Sobre-humanos", pois foi onde tudo começou! E esse livro me mostrou que eu era capaz de contar uma estória, capaz de escrever um livro e capaz de não esquecer os sonhos de infância.

Sobre-humanos fala sobre o que?

É sobre a estória de arcanjos e uma bruxa, onde a bruxa que se chama Évira deseja eliminar a humanidade e transformar o planeta no habitat das criaturas do Mundo Sombrio, e reinar sobre ele. Então os arcanjos criam os sobre-humanos e o resto é espoiler! (risos)

Qual livro que deu mais trabalho e que você pensou que não conseguiria finalizar?

Cósmica, essa foi na lata a resposta.(risos)

Cósmica foi desafiador, pois é uma história que fala de aliens, vilões e de uma adolescente rebelde. 

Tem livro novo vindo por ai?

Na prancheta tem "Necropol" e "Sobre homens e anjos", o primeiro é um livro de gênero  terror policial e o segundo vou abordar o pecado de homens e a pureza dos anjos, acredito que vai se enquadrar no gênero suspense.

Qual é o seu estilo de escrita?

Essa pergunta é difícil. (risos) Acredito que meu estilo não segue uma tradição da literatura brasileira, eu costumo dizer que meus livros segue uma linha, ou um padrão de entretenimento, é esse o meu estilo, apenas entreter. 

Você é subtenente da policia militar, por que você, não seguiu logo a carreira de escritor, por que desse... desvio?

Olha, eu já cresci não tendo muitas ilusões sobre ser desenhista, que era o meu grande sonho, e meus pais foram muitos realistas sobre estudar, trabalhar e sobreviver. Pesando a balança de uma incerta carreira artística e a realidade dos anos 90, optei por fazer vários concursos na época, e a Polícia Militar era a que me daria estabilidade financeira e uma carreira.

Você ainda tem sonhos, ou metas para a sua carreira de escritor?

Meta? Talvez de algum dia ganhar um prêmio literário, e Sonhar a gente nunca deixa de sonhar, e eu tenho um sonho bobo de ver meus livros moldados para o cinema, não pelo dinheiro, mas acredito que a experiência de ver um ator famoso interpretar um personagem que você criou deve ser fantástica e indescritível. Tem sempre aquela discussão né, que o livro era uma coisa e no cinema ficou diferente, mas as linguagens por serem diferentes tem que haver alguns ajustes, desde que não comprometa o teor da obra original!

Perguntas bate-e-volta?

Vamos lá!

Um livro : Carrie a estranha.

Escritor : Stephen King. 

Comida: Churrasco.

Um lugar: Rio de Janeiro.

Uma pessoa: Cristo, o salvador.

Uma paixão: Criar arte!

Filhos: São uma benção, minha vida!

Um amor: Essa é fácil, Katia minha esposa!(risos)

Uma frase: Nem todas as pessoas são como você pensa.

Bebida: Caldo de cana.

Um desejo: Filme ou série baseado nos meus livros.

Felicidade: A gente cria ela!

Fama: É bom, com moderação.

Ator ou atriz: Rodrigo Santoro.

Filme: Poltergeist, o fenômeno.

Banda ou cantor: Legião Urbana.

Musica: Vento no litoral

Pet: Cão.

Dinheiro: Prosperidade milionária.

Religião: Aquela que salva e não a que obriga o dizimo.

Falsidade: É uma mascara, alguns a usam perfeitamente.

Recado para os fãs?

Comprem meus livros! (risos) Eu quero agradecer a eles, por acreditarem no meu trabalho e na oportunidade do meu livro estar na estante, no escritório, no consultório e na cabeceira da cama de alguém que ama ler. Agradecer por eles darem "alma" para as histórias que um dia comecei a escrever, em um cômodo apertado, na minha casa em Vila Vaqueire. Gratidão eterna.